Este site usa Javascript.
Portal do Governo Brasileiro
Programa Abdias Nascimento libera o resultado do processo seletivo

 

Um grupo de trabalho interministerial será criado para elaborar mecanismos de ingresso, na pós-graduação, de estudantes negros, indígenas e quilombolas, além de pessoas com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades (foto: Mariana Leal/MEC)

Novos projetos de intercâmbio para graduação e pós-graduação destinados a relações etnorraciais, educação indígena e tecnologia assistida, integrantes do processo seletivo do programa Abdias do Nascimento, tiveram os resultados publicados na última segunda-feira, 16. São 32 projetos de graduação e doutorado e 24 de mestrado.

Criado em 2013, o programa Abdias Nascimento é resultado de uma demanda histórica do país. Busca democratizar o acesso e a permanência na educação superior e na pós-graduação tanto em universidades brasileiras quanto do exterior. O público-alvo dos cursos é composto por negros, pardos, indígenas, quilombolas, pessoas com deficiência, transtornos globais de desenvolvimento e com altas habilidades.

Segundo o coordenador-geral de educação para relações etnorraciais da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) do Ministério da Educação, Rodrigo de Jesus, foi uma surpresa positiva a publicação dos resultados dos editais justamente na Semana da Consciência Negra. "Entendemos que o acesso a esses projetos não se trata apenas de um processo de democratização numérico da presença de grupos sub-representados nas universidades, mas também da diversificação de saberes produzidos no âmbito da pós-graduação brasileira", afirmou.

Ainda de acordo com o coordenador do programa, os editais são inovadores no âmbito do governo federal. A expectativa é que essas experiências sejam incorporadas à dinâmica habitual das universidades. Está prevista a criação de grupo de trabalho interministerial, com representantes do MEC, da Associação Brasileira de Ciência e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), destinado a idealizar mecanismos de ingresso, na pós-graduação brasileira, de estudantes negros, indígenas, quilombolas e pessoas com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades.

Os resultados dos projetos de seleção constantes dos editais da Secadi nº 1/2014 e nº 2/2014 foram publicados no Diário Oficial da União de segunda-feira, 16.

Assessoria de Comunicação Social

© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal